VIDA SOBREHUMANA No. 14


NOSSA POBRE ALTERNATIVA


Por Ernest O'Neill

Você passou por momentos onde parecia viver acima de você mesmo, não passou ? Nós todos certamente lemos sobre momentos como estes que aconteceram nas vidas de outras pessoas. Em tempos de guerra ou em momentos de perigo incomum, homens e mulheres comuns surpreenderam até a si mesmos, mostrando coragem, presença de espírito ou intensa compaixão que sugere a presença de um poder de vida interior que eles normalmente não conhecem. Esta é a vida sobrehumana que o homem singular, Jesus de Nazaré, exibiu tão significativamente no primeiro século. Além disso, essa é a vida que Ele disse que foi feita para ser normal para nós, seres humanos. Ele explicou que Seu Pai, o Criador do mundo, plantou Sua própria vida dentro de nós no início, mas que nós perdermos contato com ela por causa de nossas atitudes. Daquele momento em diante, nós temos visto apenas instâncias isoladas e simbólicas do seu poder sobre a morte e sobre a fraqueza humana – algumas vezes em nós mesmos, outras vezes em seres humanos notáveis como Moisés ou Davi ou Pedro.

Que atitudes nossas impedem a vida sobrehumana?

A atitude em nós que fez com que o Criador do mundo retirasse esta super-vida de nós, é tão somente a confiança orgulhosa e independente em nós mesmos, como se fossemos auto-suficientes. É o oposto da realidade. Nós não somos auto-suficientes, nós não temos idéia do que acontece após a morte, não podemos explicar a origem do batimento cardíaco – muito menos o infinito universo – mas vivemos cada dia como se não houvesse ninguém mais que soubesse destas coisas. Em outras palavras, nós estamos vivendo uma mentira, tendo um estilo de vida que está fora de sincronia com a realidade final – e portanto nós somos pessoas perigosas que iriam propagar destruição pelo universo se usássemos o poder infinito da vida sobrehumana.

A escassez de vida sobrehumana em nossa determinação

Da mesma forma que a falta desta vida sobrehumana tem causado deterioração em nossas mentes e emoções, também teve um efeito desastroso em nossa determinação. O plano do nosso Criador foi que a determinação agisse como um comandante sobre nossas mentes e emoções, mas à medida que estas capacidades perderam seu equilíbrio e começaram a produzir erros de julgamento e respostas excessivas, a determinação perdeu sua capacidade de liderança. O resultado é que a maioria de nós tem determinação fraca por causa da falta de utilização, ou errática por causa do uso impulsivo. Isso é devido à ausência de qualquer senso intuitivo da determinação do Criador em nós, de forma que somos obrigados a usar a mente para definir o que deveríamos fazer em certas situações. A mente nunca foi desenhada para preencher essa função vital e é, ela própria, estritamente um agente neutro que reúne informações e as relaciona com outras informações, de forma que a determinação possa efetivamente aplicar suas decisões. Similarmente, as emoções são feitas para desejar ou sentir em conformidade com a mente, e então proporcionar a dinâmica que o corpo necessita para a ação.

Ao invés deste tipo de relacionamento mestre-escravo entre a determinação e nossas mentes e emoções, estas duas capacidades operam independentemente da determinação na maior parte do tempo. É por isto que muitos de nós tem tanta dificuldade em controlar nossas mentes ou nossa vida emocional através do exercício da determinação. Isso também explica porque muitos acham que suas vidas carecem de um direcionamento claro e sentem que estão à deriva na vida.

A escassez de vida sobrehumana em nossos corpos

Quando você está envergonhado, você fica corado. Quando você está nervoso, sua boca fica seca. Quando você está com raiva, você cerra seus punhos. Talvez você não faça todas essas coisas, mas você conhece algumas pessoas que fazem algumas delas. Isso é porque nossas emoções afetam diretamente nossos corpos – elas afetam a secreção de fluídos, a tensão dos músculos e a circulação do sangue. Em outras palavras, stress emocional causa stress no corpo. Escassez emocional de tranquilidade causa doenças ao corpo.

A escassez de vida sobrehumana fluindo de dentro de nós tem pervertido a operação de nossas mentes e emoções, que por sua vez tem causado disfunções incrivelmente complexas em nossos corpos. Eles não apenas carecem da dinâmica saudável e integrada de uma vida mental equilibrada, mas também sofrem exaustão e stress que não foram feitos para suportar. Então, através dos séculos, o corpo humano tem se tornado cada vez mais fraco, de forma que hoje é apenas sombra do que já foi. De fato, muitos de nós agora tem nascido com doenças congênitas e deformidades que tornam a vida normal quase impossível. As deformidades hereditárias que passam através de doenças venéreas são apenas os exemplos mais óbvios de deterioração que vem da inação da vida sobrenatural em nós.

Então, a escassez de vida sobrehumana tem enfraquecido todas as funções mentais, emocionais e físicas de nossas vidas, fazendo com que sejamos deficientes, por causa dos erros de julgamento, do desequilíbrio em nossas emoções, da impotência de nossa determinação e da fraqueza de nossos corpos. Mas este é o menor dos danos ! Vamos analisar, no próximo artigo, a maneira como vivemos atualmente por causa da falta de vida sobrehumana. Esta é, de longe, a consequência mais séria para você e eu em nossas vidas diárias.

Leia Vida Sobrehumana No. 15
Retornar ao documento anterior
Retornar para o Índice
Retornar para a página principal